Você está aqui
Home > Variedades > Em vídeo, feirantes de Tucano denunciam abuso de prefeito e ameaça de violência por secretário

Em vídeo, feirantes de Tucano denunciam abuso de prefeito e ameaça de violência por secretário

Feirantes de Tucano denunciaram, por meio de um vídeo, o descaso e abuso da atual gestão em relação às condições em que se encontra a feira livre do município e o aumento abusivo da taxa de contribuição.

Segundo os trabalhadores, eles pagavam por uma barraca pequena o valor de R$2,00 e agora estão sendo obrigados a pagarem R$5,00, e quem pagava R$5,00 agora tem que desembolsar R$10,00. Em outros casos, o valor triplicou, passando de R$5,00 para R$15,00.

Segundo os feirantes e moradores, o problema não está apenas no aumento abusivo da taxa, mas nas péssimas condições físicas e de higienização do local. O relato de quem trabalha e frequenta a feira é entristecedor. “A pessoa quando dá uma dor de barriga, quem tem a sua moto pega e vai, e volta, e quem não tem, tem que se obrar nas calças, calçola e perna. O fedor não tem quem chegue perto da porta, já está fedendo na rua, é pior do que 200 chiqueiros, uma imundice”, relata uma senhora, desconsolada.

Os feirantes também denunciam a fala de segurança. “Não tem um segurança na feira, não tem, alguém chega aqui e rouba, nós não podemos fazer nada”, lamenta.

Outro problema grave é em relação ao horário que os feirantes chegam com a mercadoria às sextas-feiras para organizar para o dia seguinte. Segundo depoimentos no vídeo, eles foram obrigados pela Prefeitura a chegarem ao local às 14h, mas quando chegam não há as mínimas condições para desembarcar as mercadorias, sobretudo pela presença de veículos nas imediações.

Denúncia de violência – Um caso ainda mais grave envolve o Secretário de Planejamento e Finanças do município, João Bosco Noronha, que teria ameaçado os feirantes, como denuncia no vídeo um trabalhador e morador de Tucano. “Ele chegou a dizer pra nós, o Bosco mesmo chegou a dizer pra nós, que ele ia passar por cima das barracas com o caminhão dele. Será? E pode acontecer uma coisa dessa?”, questiona o feirante.

Parece inacreditável, mas a situação destes trabalhadores ainda pode ficar mais crítica e preocupante. Segundo os feirantes, além do aumento da “taxa do sábado”, eles também terão um aumento absurdo na “taxa semanal” que pagam. “No mandato do Igor [Igor Nunes (PT), ex-prefeito do município], a gente pagava 20 reais por mês, agora a gente vai pagar em torno de mais de 400 reais por mês”, desabafa a moradora, incrédula.

Segundo os trabalhadores, há dias em que eles não vendem nada e que o aumento autorizado pelo prefeito Luiz Sérgio (PSD) significa, em muitos casos, o lucro deles do final de semana. “Se a gente não pagar essa taxa abusiva, vem o caminhão resgatar as nossas barracas, tirar o nosso ganha-pão. Eles não têm respeito por a gente ser feirante. Cedo já estão pegando o imposto da gente e nossos impostos estão indo para onde?”, questiona a moradora da cidade e trabalhadora da feira.

Para os feirantes, o maior absurdo na decisão do prefeito é aumentar de forma escandalosa a taxa e não realizar nenhuma melhoria na infraestrutura do local. “Nós poderíamos até concordar com eles, se eles cobrarem aqui no sábado 15 reais, mas que eles deem qualidade pra nós trabalhar, nó poderíamos até aceitar essa taxa aqui”, fala o trabalhador.

O vídeo foi produzido pelo Movimento Popular Mobiliza Tucano e pode ser conferido através do link: www.facebook.com/mobilizatucano/videos/468584436829828/

Resenha Local

Deixe uma resposta

Top